From now on everyday will be Saturday

Today was our last day of work. More mine than Felipe’s, since he’s got a “bonus”: had to change a little the plans and will be working on Monday again.

We left home earlier than we normally do, took the 8:00 bus and not the 8:45 one as we usually do. I couldn’t recognize anyone in the bus, odd. I didn’t take my breakfast to work to have it later, because I was late, however, we had breakfast at a nice cafè, calmly and I got to work before 9:00.

At 2:30 PM my boss said “Have you finished everything? You can go anytime you want”. The feeling of leaving early on my last day was weird, saying goodbye to everyone and simply leaving in the middle of the afternoon, something I’ve never done before… No… I preferred to stay until the end of the day, give the last tips to Amii, the girl that will be replacing me, send the last emails that someone may need, delete my personal files and passwords from my computer, let everybody go, one by one, passing by my desk and giving me a hug – enjoy your trip / see you again in 6 months.
I was the last one to leave, already without my keys, as I didn’t look back I had the feeling that today is another Friday just like any other, it was 5:30 in the afternoon and the shops were still open, the streets and bars full of people… Because tomorrow is Saturday.

But from now on everyday will be Saturday. Perhaps with some Sundays in between, when the shops do not open and people are not running. Week days will no longer exist until March next year.

I am here trying to find a way to explain the sensation of freedom of this moment, but as Cecília Meireles said in one of her many great books

“Freedom, the word that feeds the human dream, that there is no one who can explain, and that nobody do not understand.”

Everyone has been asking me if I am excited, perhaps next week I will be, maybe even tomorrow I will be, but not today. Today I’m still trying to understand all that is happening, this dream that we feed and is still hard to believe when it becomes reality, trying to understand what’s to come next.

It is not easy to think that in the next 6 months I’ll have no routine, every day in the morning I will wake up and choose what I want to do for the day. Every single day. Nothing will be predictable or certain. Over the next 6 months I will not have any income in my bank account, only spending money, and I don’t even know whether it will be enough or not. I won’t have a house with all my stuff to come back in the end of each day, or a car when I have to go far or when it’s raining. I will not see any familiar face in the streets, much less in the 8:45 bus.

I know that what I’m leaving behind now is not even close to what I left behind when I left Brazil, 1 year and 3 months ago, and came to New Zealand. I know that the first kick into this life independent of anchors began back there, still in Brazil, when I untied my boat from the many heavy anchors that it had. But it is only now that I realize the real effect of all this.

Suddenly my excitement calmed down, I am not so annoyed with the cold of winter anymore and I’m starting to dream about the life I’ll have when I get back here. As I waited for Felipe for his work’s farewell dinner, I was wandering in a department store, and rather than looking for travel equipments/clothes, something took me to the household utensils part of the store and I caught myself dreaming of my future home. Tomorrow I’ll be back on the run with my travel planning (which list is still big and I will leave it to the next post).

Maybe it’s my new age. The day before yesterday was my 29th birthday, and as any cycle that closes, I think that this trip came at the right time, to make the most of my 20s last year. But at the same time it is difficult to turn 29 not thinking of the next birthday, it is a time of transition and reflection, how would be the beginning of the 30s?

We make big and little decisions all the time, that direct our lives. But now this seems more real, not just a pre-made phrase that we say without paying attention. I have so many decisions to make from now on, from what I am going to do for the day to what I will do for my life. This is fascinating!! But for some reason the existentialist philosophy of Sartre is hammering in my head…

“Freedom is the anguish of men”.

23 comments

Leave a comment
    • Camila says:
    • 30 August, 2008 at 1:14 am

    É finalmente chegou o grande dia, falta pouco. Eu sei +- como vc se sente, pois eu me senti assim 2 vezes, uma qdo decidimos ir de carro de S.J do Rio Preto/SP até Mendoza na Argentina, são mais de 4000km, sem conhecer nada, somente o tínhamos lido na NET, programamos durante quase 8 meses, e foi tudo perfeito; da outra vez já em 2007 fomos de novo para mendoza, desta vez de ônibus para ficar 3 meses lá. O mais engraçado, é que a gente fica meses programando, e não chega nunca, e qdo chega temos essa sensação que vc descreveu aí. Jajá chega a minha hora de partir e chegar até aí.
    Boa sorte ae!

    Reply

      • Cris says:
      • 31 August, 2008 at 9:49 am

      Camila, é bem isso, a gente fica meses esperando esse dia chegar, e quando chega a gente quer que demore mais um pouquinho.. mas isso é sinal de que a vida que temos é boa né!! :)

      Reply

    • Theresa says:
    • 30 August, 2008 at 5:34 am

    Yesterday was my last day of work! It hasn’t hit my yet, because I would normally be off this Friday anyhow. As for the excitement setting in, I think it will happen for me tomorrow when I head to the airport. Today there are still too many things to do.

    Reply

    • Anthony says:
    • 30 August, 2008 at 5:37 am

    Ah, this post was just awesome. Reminded me of when I booked it from work. How nice of you to stick around until the end. The part where you say everyday will be like Saturday, it has happened to me also. I had to ask a friend yesterday what day it was, beacause the only time you will need to know what day it is is when you have a plane, bus, or train to catch.

    Soon enough (8 days!) your dream will be a reality.

    Curitiba is awesome, far more tranquilo than Rio.

    Chau chau.

    Reply

    • Antonio Campos says:
    • 30 August, 2008 at 8:41 am

    Querida Filha,

    Um longo caminho curto se descortina e é natural que isso gere angustia, o que é próprio da natureza humana quando vai ao encontro do desconhecido e, seríamos irresponsáveis se não tivessemos esta consciência.
    Mas esta mesma consciência nos dá, em contrapartida, o antídoto necessário para o enfrentamento do incerto que é a Fé, a crença absoluta da nossa força interior, a convicção da nossa capacidade de ousar, de criar e realizar sonhos e desejos afinal, somos filhos do universo e Deus, em sua Suprema Sabedoria, nos ensina que a liberdade é dada para àqueles que sabem usa-la, e graças a Ele, neste precioso ensinamento, você não faltou a nenhuma aula e já passou por média.
    Um grande beijo, te amo muito

    Teu Pai

    Reply

    • Craig says:
    • 30 August, 2008 at 8:55 am

    Every day will be Saturday – and surely you will need a map. Check out this web site: http://www.amapforsaturday.com

    Better yet, watch the documentary – it’s great preparation!

    Reply

      • Cris says:
      • 31 August, 2008 at 9:48 am

      Craig, nice to see you here again! I’ve been following your stories in Ecuador, hope you’re enjoying Peru now, can’t wait to read the next post!
      I really want to watch this film.. it sounds awesome. Might get a copy when we come back to NZ.

      Reply

    • Wanessa de Matos says:
    • 30 August, 2008 at 10:20 am

    Vocês não fazem idéia de como é bom ler o que vocês escrevem… É como se vcs descrevessem meus próprios sentimentos, é muito louco!!! É um alívio saber que não estou louca ou que pelo menos não sou a única a passar por todo esse turbilhão de emoções… Neste último post eu até chorei…
    Bom, deixa eu explicar… Tenho 26 anos, formada em Relações Internacionais e há duas semanas eu sai do meu emprego, numa Imobiliária, para me preparar para fazer minha primeira viagem ao exterior, vou passar 4 meses no Canadá, vou estudar inglês e mochilar um pouquinho.
    Acho que quando a gente tem mais responsabilidades as tomadas de decisão parecem mais cruéis, o que me faz seguir adiante é não me deixar seduzir e me juntar ao grupo daqueles que deixam de sonhar no primeiro obstáculo, que passam uma vida inteira pensando no que poderia ter sido e não foi.
    Desejo a vocês uma ótima viagem e por favor continuem escrevendo!!!
    Até mais

    Reply

      • Cris says:
      • 31 August, 2008 at 9:46 am

      Wanessa, e eu me emocionei com o seu comentário. As responsabilidades realmente fazem a gente pensar duas, mil, vezes antes de tomar decisões que sem elas seriam simples.
      Fico super feliz de saber da sua iniciativa, você não vai se arrepender!
      Antes de sair do Brasil eu sempre pensava assim: o Brasil não vai desaparecer depois que você sair, ele sempre estará aí, esperando você voltar. E não vai ser difícil, porque você sabe muito bem como as coisas funcionam por aí, é a sua casa. Pensar assim me fazia me sentir mais segura, e ainda faz! Desejo muito boa sorte na sua viagem! Espero te ver de novo por aqui. =)

      Reply

    • Giovanni Giazzon says:
    • 30 August, 2008 at 10:23 am

    Cris,

    Conheci o seu site pelo blog da Jeanine. Passei 3 meses na NZ no ano passado, num momento pessoal muito importante de desapego, realização e um quê sabático. Uma parte do seu texto me deu um leve flashback: como eu ouvi “mas vc não está empolgado!”. A empolgação veio, e foi fantástico. Só gostaria de dizer que você escreve muito muito bem e acompanhar a aventura dos outros é uma leitura muito agradável. No momento que estava lendo este post tocava no meu fone de ouvido uma música semi-melancólica dos Deftones. Que combinação! Parabéns pela capacidade de expressar sentimentos e sensações pelas palavras. Que sua viagem seja um novo mar de experiências.

    Giovanni.

    Reply

      • Cris says:
      • 31 August, 2008 at 9:43 am

      Giovanni, eu estou empolgada sim, mas acho que não tanto quanto as pessoas esperam que eu esteja, sabe?! Acho que empolgação é mais uma euforia de momento, quando tomamos a decisão ou quando algo novo acontece. Estamos planejando isso tudo há meses, a decisão já foi tomada, e agora (até a semana que vem) as novidades são cada coisa que vamos deixando pra trás, e nessas horas a gente vai vendo como a vida é maravilhosa!
      Achei legal você comentar sobre o desapego, viajar é mesmo um ótimo exercício pra isso. Acredito que desapego e realização andam juntos.

      Reply

    • ISABELA SPERANDIO says:
    • 31 August, 2008 at 2:04 am

    “Sei que o que estou deixando pra trás agora não chega nem perto do que eu deixei pra trás quando saí do Brasil, há 1 ano e 3 meses atrás, quando vim pra Nova Zelândia. Sei que o pontapé inicial para essa vida independente de âncoras começou lá atrás, no Brasil ainda, quando eu mesma desamarrei meu barco das inúmeras pesadíssimas âncoras que ele tinha. Mas é só agora que estou sentindo o verdadeiro efeito disso.”

    É tão bom entender isso…. Tão bom sentir que se compreende exatamente o que cada uma destas palavras quer dizer.
    Uma semana, Cris. Que emocao!
    Mais uma das decisoes que mudam toda uma vida.
    To bem feliz por vcs. Bem feliz e bem orgulhosa de conhecer pessoas tao corajosas, de poder contar sempre “eu tenho dois amigos, um casal que mora na NZ….”
    :)
    Bem do jeito que vcs estao fazendo, tudo o que desejo é que saboreiem cada microsegundo, cada microespaco, cada microacontecimento.
    Daí nao vou precisar dizer nem: se cuidem, aproveitem ou váo com Deus. Pq se Ele está nos detalhes é sentindo este sabor que vcs vao estar sempre protejidos e abencoados por Ele.
    Feliz viagem, Cris! Feliz VIDA!!!!!!!!
    Estamos todos aqui, ansiosos pelos seus próximos passos e por todas as novas notícias.
    Com carinho, um beijo grande,
    Isa f.

    Reply

      • Cris says:
      • 31 August, 2008 at 9:42 am

      Isa, que lindo guria, me emocionei!! Obrigada!
      Sabe que isso de perceber todos os detalhes é algo que eu aprendi depois que me mudei pra cá.. eu não sei se porque tudo ao redor é mesmo lindo ou se porque agora eu não estou mais tão estressada preocupada com outras coisas, mas hoje em dia eu não passo mais por nenhuma florzinha desapercebida. Mesmo que fosse a mesma florzinha que eu via todos os dias no caminho pro trabalho.
      Vai ser muito legal nos encontrarmos em Madri! =)

      Reply

    • Priyank says:
    • 31 August, 2008 at 2:37 am

    Hey congratulations :) For me its only 3 more months of Saturdays. Happy travels.

    Reply

    • olga skroski says:
    • 31 August, 2008 at 2:40 am

    PekenaCris…
    Por vários momentos..lendo suas impressões deste período me recordei de várias vezes em que mudanças ocorreram em minha vida..e as incertezas diante do Novo, do desconhecido impacataram em meu estado de espírito.
    E em proporções diferentes poderia dizer que é verdadeiro o curto período de stress a até mesmo um pouquinho depressivo que toma conta de nossa mente até que o Novo se estabeleça…
    Mas já isso passa..e uma certeza toma conta conta de nós, a certeza de que tudo vai dar certo e que estamos sim preparados para esse Novo.
    O novo é a liberdade, a mudança de idade, a mudança de estado, a mudança do espaço, o novo está presente a cada passo.
    Estamos, nós humanos providos de um estado de ALERTA NOVIDADE e podemos fazer esse estado agir a nosso favor vivendo com amor e otimismo ! !
    Eu tenho certeza, minha querida que tudo vai dar muito certo e que voces irão saborear o novo com muita alegria!!!!!

    Voce sabe que sua coragem já foi testada e aprovada, sua coragem te levou ao ponto em que está agora.

    Estou muito Orgulhosa de voces!
    Com amor da MAMA!

    Reply

      • Cris says:
      • 31 August, 2008 at 9:41 am

      Olga, obrigada por tudo, querida. Fazemos o possível pra nos preparar para as novidades, mas sei que nunca é suficiente, precisamos ir lá e ver com nossos próprios olhos.
      Essa sensação de estar à beira de tantas novidades é maravilhosa, e eu espero ser capaz de repetir esse momento muitas e muitas vezes ainda na minha vida.

      Reply

    • Ana Rita says:
    • 31 August, 2008 at 6:20 am

    Filha querida:

    Me emocionei ao ler esse texto (nem precisa dizer).

    Essa Cris é diferente daquela que eu abracei no aeroporto quando partiu daqui.
    As amarras que você desatou quando decidiu partir, só te levaram a uma vida mais leve, mais saudável e mais feliz.
    A reflexão e amadurecimento marcaram o teu crescimento como pessoa.
    A vida é feita de escolhas sim, e você sempre soube fazê-las muito bem.
    Não se angustie, tenho certeza que continuará sabendo, com a determinação que sempre norteou sua decisões.
    O Felipe, esse companheiro maravilhoso, faz parte dessa caminhada e desse crescimento e continuará fazendo pelo amor que os une.
    E olhe, esse último ano dos seus 20s será, certamente, inesquecível.
    MUITAS coisas boas acontecendo. Vamos curtir!!!!

    Um Super Beijo
    Sua Mãe

    Reply

      • Cris says:
      • 31 August, 2008 at 9:39 am

      Mãe, a questão da angústia é mais uma reflexão sobre a humanidade do que sobre mim mesma. Não se preocupe, eu estou mais certa do que nunca das decisões (super decisões!!) que tenho tomado.
      E sim, muito feliz!
      Obrigada por sempre me apoiar em todas as minhas decisões e me ajudar a alcançar tudo que sempre sonhei.

      Reply

    • Cris says:
    • 31 August, 2008 at 9:51 am

    @Theresa – you finished working exactly on the same day as us! and travelling to days later.. wow.. you’re probably very very busy now.. I still have 1 week to go and sooo many things to do.

    @Anthony – glad you liked our city, it is a llloooott more “tranquilo” than Rio, and more organized too, isn’t it?

    @Pai – obrigada, devo a você muito do que sei e do que sou.
    Não pense que estou angustiada, eu não estou.. apenas reflexiva. =)

    @Priyank – thanks for passing by! 3 months is still a long time.. Happy travels for you too.

    Reply

    • Pri says:
    • 31 August, 2008 at 11:50 pm

    Cris amada!
    Como eu conheco essa sua sensacao!!
    Meu ultimo final de semana em Ctba foi mais ou menos assim, a empolgacao da viagem ficou um pouco de lado e me bateu uma nostalgia, uma saudade q ainda estaria por vir. E tambem acho q no fundo sabemos que estamos nos despedindo de nos mesmas… pq sabemos q qdo voltarmos seremos outra Priscila, outra Cris…
    * portugues tosco, nao tenho nossos acentos no meu teclado aqui…

    Bjao amiga, aproveita bastante sua ultima semana em NZ!

    Reply

    • Betyane says:
    • 2 September, 2008 at 9:19 am

    Graaaande pequena Cris!
    Essa é a minha amiga: coragem e força, temperada com mta delicadeza e emoção.
    Te amo mil vezes o tamanho do mundo!

    Reply

    • Cris says:
    • 2 September, 2008 at 11:25 pm

    @Pri – é bem isso… mas é bom também saber que vamos voltar pra cá daqui a 6 meses.. tudo novo, de novo. =)

    @Betyane – quanto elogio, amiga, isso não combina comigo! hehehe Também te amo biscoita.. s2

    Reply

    • Lincoln says:
    • 26 November, 2008 at 2:46 pm

    Eu estava pesquisando umas frases da Clarice Lispector e de repente me deparei com o seu texto. Sinceramente, eu não sei nada da história de vocês, nem quem sejam, mas a verdade é que fiquei emocionado ao ser seu texto. Não é só uma história é mais que isso
    :0)

    Muito obrigado!

    Reply

Leave a comment